Junior Frigometal

ACOMPANHE AS NOVIDADES

Os maiores importadores da proteína animal do Brasil

            Sabemos que um dos principais fatores que influenciam na economia de um país, são as parcerias criadas com outros países que compram determinados produtos. Tendo em vista que todos os países precisam uns dos outros para suprir as suas necessidades, são realizadas as chamadas parcerias comerciais. Segundo dados, a expectativa para o Brasil nos próximos anos em relação a importação de produtos, é um elevado crescimento de nosso mercado externo e, por esse motivo, é importante conhecermos os principais e maiores importadores dos nossos produtos. O Brasil possui uma boa imagem no mercado externo, com grande destaque para os produtos como a soja, o minério de ferro e claro, a carne.

            É nítido o quanto a carne brasileira é cobiçada mundo a fora, devido ao fato de ter sido encontrado, no clima tropical brasileiro, substratos que são ótimos para a adaptação e criação do gado. Esse contexto, garantiu a multiplicação dos animais, fazendo com que o Brasil atingisse mais de 220 milhões de cabeças de gado, criados, em sua grande parte, a pasto. Portanto, isso demonstra que o tripé da sustentabilidade é igualmente forte na carne brasileira, pois é economicamente viável, socialmente justa e ambientalmente apropriada.

            No ano de 2019, as exportações de carne bovina obtiveram um faturamento de US$ 7,59 bilhões, ou seja, um aumento de mais de 15,5%. O principal país importador dos produtos brasileiros, ainda é a China e por conta disso, qualquer instabilidade que influencie os chineses, reflete diretamente e automaticamente na nossa exportação. Como por exemplo, a pandemia de coronavírus que estamos vivendo e que desfavoreceu um pouco a exportação brasileira no início desse ano, bem como a importação de carne no país asiático.

            As importações da carne de frango, de acordo com os dados do ano passado, também foram totalmente dominadas pela China que, ao aumentar as importações em 23%, consumiu do Brasil, cerca de 60 mil toneladas a mais. Em função desse crescimento, a China lidera o ranking (juntamente com o bloco dos países asiáticos, Hong Kong, Japão e Coreia do Sul), respondendo por 46% das importações, seguido de quatro países do Oriente Médio que são, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Iêmen, com 39% do total (2019).

            Por mais que a China continue assumindo a liderança como a maior importadora do nosso produto, outros países também surgem nesse ranking e estão comprando cada vez mais a proteína brasileira. Hong Kong, que antes liderava a importação da carne bovina, atualmente é o segundo maior importador do produto brasileiro, sendo registrado no ano passado (2019), um volume de 342.874 toneladas. Em sequência, temos como principais países importadores dessa carne, a União Européia que registrou no ano passado um volume de 106.206 toneladas, seguido do Egito que registrou um volume de 163.644 toneladas.

            De acordo com os dados, é perceptível que os resultados positivos foram totalmente alcançados por conta do crescimento da demanda chinesa, que no ano passado se estabilizou como o principal destino da carne brasileira, respondendo então por 26,7% do total exportado por nós. Em 2019, a China importou 494.078 toneladas, cravando um aumento de 53,2% comparado ao ano de 2018. Em receita, foi de 80%, totalizando assim US$ 2,67 bilhões. Contudo, todos esses bons resultados obtidos no ano anterior e que vem se mantendo neste ano, mesmo com a pandemia, nos mostram o quanto a carne brasileira é bem aceita e tem uma ótima competitividade no exterior.

Whats Comercial